full screen background image

Sinais de que você está viciado em tecnologia

Existem alguns sinais que podem demonstrar se você está viciado em tecnologia, ou seja, notebook, tablet, smartphone e afins. Isto pode significar então que o uso desses aparelhos está atrapalhando direta ou indiretamente a sua vida, seus costumes, horários (como dormir ou comer por exemplo) que por um longo prazo pode trazer graves riscos a saúde. Uma das características das pessoas viciadas nesses aparelhos, seja para acessar redes sociais, jogar, ou até mesmo questões relacionadas ao trabalho, é que se tornam demasiadamente ansiosas, perdendo a qualidade do sono (geralmente por estar com esses aparelhos em mãos antes de dormir), bruxismos e até mesmo tornam-se mais perfeccionistas.

Para demonstrar melhor estes sinais, elaboramos esta lista, confira:

Perda da qualidade do sono.

viciado-tecnologia-smartphone-dormindo

Se você ao dormir costuma levar para cama com você algum aparelho eletrônico, saiba que isto pode estar influenciando negativamente na qualidade do seu sono, tanto por fazer com que o sono demore a chegar, como também faz com que seu cérebro fique ligado à este aparelho, não deixando que você descanse de forma satisfatória. O mesmo pode ocorrer caso fique algum aparelho ligado no quarto com luzes piscando, por exemplo.

Este comportamento pode fazer também com que você sinta-se extremamente cansado no dia seguinte, com o sentimento de que “não dormiu o suficiente” independente da quantidade de sono, como se não conseguisse “desligar o cérebro”. Isto ocorre justamente pela quantidade exacerbada de horas passadas em frente à esses aparelhos eletrônicos, seja por prazer ou a trabalho.

O ideal seria minimizar as horas passadas em frente aos aparelhos eletrônicos, tentando também dar pausas continuas e deixando os mesmo de lado. É interessante também, algumas horas antes de dormir, desligar todos os aparelhos e deixá-los longe do seu alcance, para que seja possível uma melhor noite de sono.

Pensamento constante sobre os conteúdos dos aparelhos eletrônicos.

Viciado Tecnologia

Quando você acessa os aparelhos, seja o smartphone/tablet para olhar algum aplicativo ou até mesmo o notebook para utilizar das redes sociais, repetindo este comportamento com muita frequência, isto também pode ser um sinal de vício. O problema é que ficamos com o pensamento voltado para essas mídias sociais, diminuindo nossa concentração para outros aspectos mais importantes de nossas vidas.

A ansiedade pode ser uma consequência deste comportamento, assim como a falta de atenção. O ideal seria criar uma rotina para acessar estas redes em horários específicos, distante do horário de dormir, sem que sejam acessadas com muita frequência. Aos poucos, o comportamento de acessá-las incessantemente vai diminuir.

Todos os seus assuntos são voltados para essas mídias.

aparelhos-viciado-tecnologia

Se tudo o que conversar com seus amigos, ou pelo menos, a maioria de seus assuntos são voltados para coisas que você viu na internet através dos aparelhos eletrônicos. Isto pode ser um sinal de que você está passando demasiado tempo com esses aparelhos, esquecendo-se assim de outros meios de também conseguir informações (algumas mais válidas).

É interessante começar a prestar atenção nos conteúdos de suas conversas e principalmente sobre os pensamentos que veem a sua mente quando você pensa em puxar assunto com outra pessoa. Perceber isto é o primeiro passo para começar a mudar alguns comportamentos.

Sentir falta dos aparelhos ou nunca esquecê-los.

nomofobia

Quando você passa muito tempo sem utilizar esses aparelhos e começar a sentir falta dos mesmos, isto pode ser um sinal de problema. Ou se você é daquelas pessoas mais “esquecidas” que geralmente se esquece de tudo, mas nunca esquece do próprio celular, então está na hora de perceber seus comportamentos em relação aos mesmos. É preciso refletir a respeito de tudo o que você costuma fazer com estes aparelhos, independe de suas finalidades, e tentar perceber quais comportamentos podem ser transformados.

Tenha em mente que o uso prolongado dos aparelhos eletrônicos pode trazer grande risco a saúde, tanto física quanto mental. O acesso rápido a informação em conjunto com a grande quantidade da mesma pode atrapalhar, mais do que ajudar, sem contar os conteúdos acessados que não trazem nenhuma benefício para você. Problemas físicos como a má postura ou até mesmo visuais e auditivas (perca da qualidade), também são umas questão a ser refletida.

O vício em tecnologia é um assunto relativamente novo. Não podemos negar os benefícios que a tecnologia agregou para nós, mas ao mesmo tempo, existem muitos malefícios a respeito da forma como escolhemos utilizar estas tecnologias e de como isto afeta diretamente nossas vidas. Faz-se necessário ser cauteloso e reflexivo a respeito destas questões.

Fonte: tudoparahomens

Zé Felipe afirma adorar prostíbulo: “Toda mulher tinha que deixar o marido ir”

Zé Felipe mostrou mais uma vez que não tem papas na língua. Ao participar do canal de Matheus Mazzafera no YouTube, o cantor falou sobre uma casa de swing.

Zé disse que iria tranquilamente para ela e confessou adorar um prostíbulo. “A vida é muito curta pra gente ser chato. Só fui gravar um clipe uma vez (na casa de swing), mas puteiro já fui demais, adoro um puteiro. Amo, é lindo, bom demais“, revelou o jovem.

O cantora ainda aproveitou para incentivar os homens a irem ao local com a permissão das esposas. “Todo homem tem que ir num puteiro. Acho que toda mulher tinha que deixar o marido a ir um puteiro. Às vezes, você vai só pra ver, tomar uma cerveja, dar uma risada”, disse ele.

Também na entrevista, Zé contou também que já se relacionou com mulheres 15 anos mais velhas. “Devia ter mais até. Eu gosto de mulher mais velha, prefiro bem mais”,afirmou o sertanejo.

Confira o vídeo:

Conheça 10 jovens brasileiros que são destaque na lista da Forbes

A nova geração está inserida num mundo de tecnologias e mutações, por isso apresenta diferentes ideias e tem a iniciativa para vencer novos desafios. E a maioria destes jovens promissores está conquistando o sucesso bem antes do que se imagina. Com o apoio de diferentes conselheiros, a revista Forbes Brasil está lançando hoje, alguns nomes de brasileiros que já estão no auge da carreira em diferentes áreas de atuação, com apenas 30 anos.

Conheça o perfil de 10 jovens que foram eleitos pelos convidados da revista, e descubra porque eles são considerados exemplos.

>>1- Bruninho (Esporte)

O destino de Bruno Mossa de Rezende, 30 anos, não poderia ser diferente. Desde os 14 anos, começou a levar o esporte a sério. E a influência familiar favoreceu a sua decisão. Filho do técnico e ex-jogador Bernardinho e de Vera Mossa, musa da seleção brasileira nos anos 80, não teria dúvida que o garoto seguiria o caminho do esporte.

Depois de duas grandes frustrações nas Olimpíadas de 2008 e 2012, Bruninho (que se acha ‘baixinho’ com seu 1,90 metro) alcançou a glória na Rio 2016, vencendo a Itália na final. Ao colocar a medalha de ouro no pescoço, superou os próprios pais. E ainda foi eleito o melhor levantador da competição.

Representar meu país foi a coisa mais emblemática e emocionante que eu pude experimentar. Ouvir o hino nacional quando a gente está no alto do pódio dá muito orgulho, é a coisa mais bacana que pode acontecer para um atleta, diz.

Em pouco tempo de profissão, o carioca, ganhou a medalha de ouro no Maracanãzinho e conquistou o desafio com um sabor especial. Depois de três anos jogando na Itália, hoje ele defende o Sesi de São Paulo.

>> 2- Caio Castro (Cinema, Televisão & Teatro)

Depois de ter participado e vencido um concurso no programa Caldeirão do Huck, na TV Globo, em 2007, a porta de entrada se abriu, e o jovem deu o pontapé inicial na sua carreira ao integrar o elenco da novela Malhação. Caio Castro não imaginava que sua ascensão fosse tão rápida.

Superou as expectativas, afirma.

Hoje, aos 28 anos, o ator coleciona participações e protagonismos em novelas de sucesso na emissora.

Após cinco anos de trabalho ininterrupto, em 2012, Caio direcionou todo o foco para seu aperfeiçoamento e deu uma guinada na carreira. Dessa forma, obteve maior liberdade para escolher papéis que lhe rendessem mais sucesso. Durante este período, ainda lançou um livro sobre as experiências que adquiriu, com fotos e textos escritos durante as viagens que realizou.

Caio está prestes a estrear Novo Mundo, novela de época na qual interpretará seu primeiro personagem histórico, o imperador dom Pedro I. Também estará no cinema em 2017 interpretando Júlio no filme Travessia, com estreia em 23 de março. Para completar um ano intenso, prepara o lançamento de seu segundo livro, que vai divulgar fotos e relatos sobre uma viagem de carro da Califórnia a São Paulo.

>> 3- Guilherme Junqueira (Ciência, Tecnologia & Educação)

Com uma ansiedade e vontade de empreender, o campo-grandense saiu do emprego na Ambev e montou seu primeiro negócio aos 21 anos de idade. Mas, no primeiro momento, não foi tão simples assim. O jovem começou fazendo guias comerciais de bairro, no primeiro ano tudo estava indo bem, o novo empreendedor faturou R$ 500 mil no negócio, porém, no ano seguinte (2011) foi uma catástrofe, a proposta teve fim, por falta de conhecimento em tecnologia e ingenuidade financeira.

Para suprir a falta de know-how tecnológico, voltou a ser funcionário – em uma empresa de tecnologia. Foi aí que ele conheceu um colega programador, que futuramente virou sócio da empresa de desenvolvimento de aplicativos mobile, próximo empreendimento de Guilherme. A empresa, formava profissionais de tecnologia com a cultura da inovação, diferente de um RH comum. que não costuma atrair esse tipo de profissional. Com esta proposta, ele assumiu uma posição na Associação Brasileira de Startups, onde surgiu a oportunidade de atrair talentos prontos para o trabalho, isso levou o empreendedor a criar a Gama Academy em março de 2016.

 Já formamos 300 talentos – e 70% deles estão empregados, comemora.

>> 4- Lisiane Lemos (Social/Colaborativo)

A executiva de vendas Lisiane Lemos é movidapela criação de um elo entre o mundo corporativo e as questões de cidadania. Há quatro anos na Microsoft, em São Paulo, a gaúcha de 27 anos divide seu tempo entre a carreira e sua militância em prol da igualdade racial. E não é só isso, ela também participa do Blacks at Microsoft no Brasil, política da companhia pela inclusão de pessoas negras na empresa, que promove a tecnologia como um instrumento de ascensão social.

A luta de Lisiane pela igualdade não se restringe à empresa onde trabalha. Ela foi uma das fundadoras e é diretora da Rede de Profissionais Negros, coletivo que busca conectar profissionais negros, empresas com políticas de diversidade e movimentos sociais. A ideia é ir além do sistema de cotas no ensino superior por meio da conexão entre empresas que adotam práticas de inclusão e que são desconhecidas dos jovens recémformados. Além disso, Lisiane é também uma das líderes do Mulheres do Brasil, organização da sociedade civil fundada pela empresária Luiza Trajano, proprietária do Magazine Luiza. Ela participou da criação do Comitê de Igualdade Racial do grupo.

E os projetos não param por aí, a jovem tem iniciativa de dar continuidade ao trabalho com foco no setor privado, já que praticamente não existem líderes que promovam a igualdade racial nas empresas. Em paralelo a esta atividade, Lisiane pretende realizar uma especialização em tecnologia e usar a própria carreira para incentivar aos jovens negros, a conquistar oportunidades nas grandes empresas.

>> 5- Thaynara OG (Influenciadora digital)

Thaynara (Oliveira Gomes, vulgo OG) conquistou os fãs desde cedo quando começou a postar vídeos pelo Snapchat, em 2015. As produções tiveram uma boa aceitação e geraram uma legião de seguidores.

A proposta surgiu depois que a jovem se formou em Direito, como todos da família. A rotina era muito desgaste porque ela queria prestar concurso para a Defensoria Pública da União. Foi aí que Thaynara OG passou a transmitir vídeos na internet, o apoio dos amigos tornava o dia a dia mais prazerozo. Em outubro do mesmo ano, ela venceu a timidez e tornou os vídeos públicos. Em fevereiro de 2016, a internet virou sua profissão – hoje é considerada a maior snapchater do país- já atingiu quase 2 milhões de pessoas no Instagram e outros tantos no Snapchat. Hoje, aos 25 anos, ela desistiu do concurso e vive do que ganha nas redes sociais. Recentemente Thaynara OG foi indicada para o Kids” Choice Awards (do canal Nickelodeon), maior premiação do gênero no mundo, como Personalidade Brasileira.

>> 6- Ludmilla (Música)

Às vésperas de completar 22 anos, a carioca Ludmilla Oliveira da Silva já tem uma agenda digna de popstar. A funkeira encarou uma média de 20 shows por mês no ano passado, gravou o seu segundo álbum, A Danada Sou Eu (Warner), participou de um número sem fim de eventos de divulgação e programas de televisão, mostrou samba no pé em ensaios e desfiles carnavalescos e ainda arrumou tempo para registrar ocorrência policial sobre ofensas raciais cometidas contra ela nas redes sociais.

Eu não tinha noção de aonde chegaria. Só queria cantar, revela Ludmilla.

Mas o sucesso ‘não subiu para a cabeça’, ela  ainda lembra dos antigos e bons momentos que fazia antes da fama, como encontrar as amigas e ficar no portão à toa.  ‘Sinto falta de ficar no portão, à toa. Mesmo assim, ela já tem planos para o futuro, pretende falar inglês e espanhos e conquistar uma carreira internacional.

 

7- Alok (Música)

Alok Achkar Peres Petrillo, 25 anos, que apesar do nome indiano-libanês-espanhol-italiano nasceu em Goiânia, é mundialmente conhecido como DJ Alok. O seu último hit ‘Hear Me Now’, (realizada em parceria com Bruno Martini) já foi ouvida mais de 100 milhões de vezes no Spotify (num ritmo de 13 milhões de audições por semana). Isso fez dele um Top 30 global no maior serviço de streaming musical do planeta (na Billboard, a música chegou ao 20º lugar). No YouTube são outros 45 milhões de execuções. A influência veio dos pais, que também eram DJs, ele começou a tocar profissionalmente aos 12 anos junto com o irmão gêmeo, Bhaskar. Em 2010, ele teve a iniciativa de partir para a carreira solo.

Hoje Alok passa mais tempo fora do Brasil do que em sua casa, em São Paulo. Vai passar dois meses na China, mas o país não utiliza YouTube e Facebook, nada disso, só a rede social do governo. A referência que a China tem em música eletrônica é a revista DJ Mag, e Alok aparecia como o 25º melhor. O artista também aventurou a carreira na Rússia e ficou bastante conhecido.

Tão conhecido que fechou um generoso contrato de 16 shows e ações publicitárias com a Budweiser em solo chinês.

8- Larissa Manoela (Literatura)

Foi a partir da novela mexicana Carrossel, exibida pelo SBT, que Larissa Manoela conquistou o sucesso. Aos 16 anos, ela interpretou a personagem Maria Joaquina, e deu um ‘up’ na sua carreira de atriz, cantora, dubladora e modelo, transformando-a em uma das maiores estrelas teens do país.

Em 2016, outro talento da menina foi apresentado ao público: o de escritora, com o lançamento de O Diário de Larissa Manoela. O livro é o segundo no ranking dos autores brasileiros mais vendidos do ano, com 179 mil exemplares. E esse é somente o início de sua carreira de escritora: ela já começou a preparar a segunda obra, uma continuação do trabalho de estreia.

A atriz começou a escrever desde os 7 anos, quando começou a produzir seu diário. Inicialmente foi contatada pelas editoras para escrever um livro de ficção ou sua biografia, mas optou por transformar seu diário em livro. A adolescente conta que se inspira em outras autoras jovens, como Thalita Rebouças, Bruna Vieira e Paula Pimenta.

E 2017 tem tudo para ser outro ano de realizações para Larissa, com a estreia de dois filmes nos quais será protagonista. Ela está ao lado de Ingrid Guimarães em Fala Sério, Mãe, adaptação do livro homônimo de Thalita Rebouças. Também está prevista a estreia de Meus 15 Anos, baseado no livro de Luiza Trigo.

9- Vitorino Campos (Moda)

Embora tenha apenas 29 anos, Vitorino já acumula mais de uma década de experiência. Montou sua primeira loja aos 16 anos, formou-se em design de moda na Universidade de Salvador, criou uma marca homônima em 2008, passou a integrar o calendário oficial do São Paulo Fashion Week em 2012 e, em 2014, assumiu os desfiles da grife carioca Animale depois de uma seleção da qual participaram até nomes internacionais. O especialista em moda foi criado entre o ateliê da tia e a fábrica de fardamentos da mãe em Feira de Santana, na Bahia.

Um dos nomes mais promissores do cenário fashion nacional, Vitorino foi citado pela Vogue americana, em 2015, como um dos dois profissionais brasileiros nos quais todos deveriam estar de olho (a outra era Patricia Bonaldi), enquanto a Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) elegeu-o estilista do ano em 2016. Reconhecimentos conquistados graças a muita dedicação. ‘É claro que abri mão de muitas coisas, principalmente quando era mais jovem. Mas, o profissional busca cada vez mais.

 Eu me vejo pesquisando cada vez mais sobre moda, em uma busca sem fim. Cada vez que atinjo um desafio, me empolgo automaticamente com um mais novo

10- Roberto Sirotsky (Negócios)

Apesar de ser um dos herdeiros do Grupo RBS, Roberto Sirotsky, decidiu seguir um outro caminho.

Quando garoto, ele achou que seu futuro estava no tênis. Porém, depois de investir na área por alguns anos, quando adulto, ele percebeu que este segmento não estava ligado a sua vocação. Aos 21 anos, com amigos, abriu a 3yz para fazer sites.

O primeiro cliente era um pequeno hotel da cidade.’ Com o tempo, ampliaram o leque e passaram a atender marcas gaúchas conhecidas nacionalmente.

Desde fevereiro de 2016, a britânica WPP, maior grupo de publicidade do mundo, entrou na sociedade. O negócio começou a ganhar espaço e a empresa passou a participar de processos maiores e a atender multinacionais. O faturamento deu um salto. Também em 2016, ele venceu o prêmio Empresário de Comunicação do Ano da Associação Riograndense de Propaganda, concorrendo, entre outros, com o próprio CEO da RBS Mídias.

Além dos jovens citados acima, a revista Forbes deu uma prévia de mais alguns profissionais em destaque.

* Daniel Dias (Esporte)

* Kahena Kunze & Martine Grael (Esporte)

* Sophia Abrahão (Cinema, Televisão & Teatro)

* Bruno Gissoni, Rodrigo Simas & Felipe Simas (Cinema, Televisão & Teatro)

* Rezendeevil (Influenciadores digitais)

* Paola Antonini (Influenciadores digitais)

* Zé Neto & Cristiano (Música)

* Sheyla Smanioto (Literatura)

* Victor Heringer (Literatura)

* Lilly Sarti (Moda)

* Vitor Paulino & Rafael Matos (Negócios)

* Andres Andrade (Negócios)

* Camila Achutti (Ciência, Tecnologia & Educação)

* Miguel Andorffy (Ciência, Tecnologia & Educação)

* Marco Antonio Penha (Social/ colaborativo)

* Laina Crisóstomo (Social/ colaborativo)

O perfil de todos os eleitos está na revista, que chega hoje às bancas.

6 coisas que todo LGBT gostaria que seus pais soubessem ao se assumir…

Um dos maiores dilemas na cabeça de qualquer LGBT, com certeza é o momento de contar para a família. O receio de decepcionar os pais, o medo da não aceitação, e em muitos casos, até o corte dos laços familiares ou a expulsão de casa. São muitas as questões e ameaças.

O nosso momento de sair do armário para os pais, é o momento de testar a homofobia de quem é a nossa base, e ver se, junto de nós, eles também saem do armário, ou mostram que também são vítimas do preconceito da sociedade condena seus filhos. A negativa neste momento, é muito triste, pois, se nossos pais não são por nós, quem será?

Mas afinal, o que a gente gostaria que eles soubessem neste momento, que para nós, também é muito difícil? Veja abaixo uma lista de 6 coisas que (pelo menos quase) todo LGBT gostaria que seus pais soubessem nesta hora.

Vale lembrar que a lista é parte retirada da obra “Um Livro para ser entendido”, que você pode adquirir.

1. EU NÃO MUDEI
Por mais que você não acredite agora, eu continuo sendo o mesmo. A diferença é que agora você sabe mis uma característica minha: por quem eu me atraio. Mas isso não muda nada. Você poderia até não saber, de repente, mas mesmo assim, decidi te contar pra não ter que esconder de você parte tão importante sobre quem sou eu. Mas fique tranquilo, mais uma vez, eu sou a mesma pessoa de antes. Bem, quase a mesma pessoa. Talvez só um bocado mais aliviado por ter me aberto e tirado um peso das costas ao finalmente te deixar saber isso, sem precisar mais te enganar ou fingir.

2. TAMBÉM TIVE QUE ME ACEITAR
Eu entendo que talvez seja difícil pra você aceitar isso de cara, afinal, também passei por todo um processo pra ME entender e ME aceitar bem antes de agora. Imagina você que está de fora então e não viveu essa situação na pele como eu, e está descobrindo isso só agora?! Eu te entendo, relaxa. Mas lembre-se que, se está sendo difícil pra você, muito antes disso, também não foi fácil pra mim.

3. POR QUE SÓ TE CONTEI AGORA?
Não se sinta traído. Se eu escondi essa minha característica de você até agora, foi só medo de que você me rejeitasse. Doeria demais. Mas a dor de ficar escondendo ou te enganando, se tornou maior do que o medo da rejeição. Também posso ter demorado um bocado pra colocar isso pra fora porque, antes de TE assumir, tinha que ME assumir, quero dizer, pra mim mesmo. E é um processo ainda mais difícil do que contar pra você!

4. ACEITA QUE DÓI MENOS
Não adianta me apresentar a filha do vizinho, arrancar meus pôsteres da Britney da parede ou me obrigar a jogar futebol. Eu posso até achar a vizinha bonita, posso saber a coreografia de Oops ou Me Against The Music, amar ou odiar o Timão e nada disso vai me fazer deixar de ser gay, assim como nada disso me fez ser hétero. É um desperdício de energia e tempo pensar que eu posso mudar ou que qualquer gosto influencie na sexualidade. Sai dessa e aceita, porque isso não vai mudar, ok? Até porque, bem antes de você saber, provavelmente já considerei muitas vezes essa hipótese e vi que não era possível.

4. SAIA DO ARMÁRIO VOCÊ TAMBÉM!
Calma! Eu não quero dizer que você pai seja gay, ou você mãe seja lésbica. Mas pais e mães de gays não só podem como devem sair do armário com seus filhos. Vocês podem tornar a vida do filho muito mais fácil quando não escondem que tem filhos gays. Muitos pais até se esforçam e aceitam pra si, mas aí escondem da família, dos amigos, evitam determinados assuntos por aí, criam namoradas imaginárias pro filho no churrasco da família, tudo pra ninguém saber que o filho é gay, achando que isso vai preservá-lo, ou preservar a própria imagem. Na realidade, isso apenas cria uma sensação no filho de que ele é errado e também deve esconder quem ele é. Faz um mal tremendo pra autoestima, autoimagem e segurança, além de passar a mensagem errada. Errada está a sociedade em não respeitar, não seu filho em ser simplesmente quem ele é. Pai ou mãe, você não devia gostar quando seu filho adolescente pedia pra parar o carro na esquina antes da escola, por vergonha de você, lembra? Pois bem, você estaria fazendo a mesma coisa de maneira muito, muito pior.

5. VOCÊ QUER CHAMAR ATENÇÃO!
É verdade que quando criança fiz muito pra chamar atenção, pra te contrariar ou simplesmente conseguir o que queria. Aliás, sou craque nisso desde cedo quando minha maior ambição era a próxima mamadeira. Mas sinceramente, o que eu iria conseguir contando que sou gay? Se é pra chamar sua atenção, certamente existem maneiras menos nocivas do que correndo o risco de levar uma lampadada na cabeça na Paulista.

6. EU TE AMO
Eu sou seu filho e acima de tudo e eu te amo. Espero que você me compreenda e me respeite, até porque nada pode doer mais do que ser rejeitado por quem a gente mais ama, principalmente se esse alguém é presente desde que nos entendemos por gente. Se você não me aceita, eu lamento muito, mas preciso ser eu mesmo. Ainda que eu venha de você, isso não significa que eu vá corresponder a todas a suas expectativas, até porque elas são suas e não minhas. E a vida é minha e não sua. De qualquer forma, serei paciente até que você busque conhecimento e reveja seus conceitos e preconceitos. E estarei aqui pra nos abraçarmos novamente quando você quiser. Agora, se você entende, muito bom! Fico ainda mais orgulhoso de você por não colocar o preconceito na frente da nossa relação. Claro que nosso amor não deixaria de existir de qualquer forma, mas fico muito feliz que ele tenha passado tranquilamente por essa prova e possa continuar sendo expressado e vivido incondicionalmente como deve ser.

O texto acima é parte integrante da obra “Um Livro para ser entendido”, que você pode adquirir neste link para ler na íntegra.