full screen background image

Como criar emojis com a sua cara para usar no WhatsApp

Se você usa bastante o WhatsApp ou outras redes sociais como o Facebook e até o Instagram, mas está cansado dos emojis padrão e quer algo que combine mais com você, saiba que já é possível acessar sites que permitem criar “bonequinhos” com o seu rosto e frases que são mais do seu estilo. Confira a seguir.

Como fazer emojis para WhatsApp que são a sua cara

No Bitmoji

O Bitmoji é um site que permite criar emojis e figurinhas com os seus traços e trejeitos. Usá-lo é bem fácil:

Passo 1: baixe o aplicativo do Bitmoji gratuitamente na App Store ou Google Play. Depois, faça um cadastro manualmente utilizando seu e-mail ou com a sua conta do Snapchat.

O seu emoji pode ser utilizado também no Snapchat (Captura de tela: Ariane Velasco)

O seu emoji pode ser utilizado também no Snapchat (Captura de tela: Ariane Velasco)

Passo 2: comece a fazer o seu emoji personalizado. É possível tirar uma selfie, caso queira, para que o próprio aplicativo atribua suas características ao emoji (caso você não queira, basta tocar em “Pular”).

Com preguiça de fazer o seu emoji para WhatsApp? Tire uma selfie para que o Bitmoji crie uma para você (Captura de tela: Ariane Velasco)

Com preguiça de fazer o seu emoji para WhatsApp? Tire uma selfie para que o Bitmoji crie uma para você (Captura de tela: Ariane Velasco)

Passo 3: escolha o tom de pele de seu emoji, dos olhos, formato das sobrancelhas, do nariz e coloque óculos caso queira. Você também pode mudar o corte de cabelo do seu emoji, as roupas, acessórios e outras características. Para acessar cada um dos menus, basta arrastar a tela para o lado.

Escolha o tom de sua pele no emoji (Captura de tela: Ariane Velasco)

Escolha o tom de sua pele no emoji (Captura de tela: Ariane Velasco)

Passo 4: habilite o teclado do Bitmoji para criar os seus emojis para WhatsApp. Para isso, toque em “Habilite nas configurações”.

É fundamental habilitar o bitmoji no seu smartphone para utilizá-lo (Captura de tela: Ariane Velasco)

É fundamental habilitar o bitmoji no seu smartphone para utilizá-lo (Captura de tela: Ariane Velasco)

Passo 5: ative a chave do teclado Bitmoji para habilitar os emojis.

Ative o teclado Bitmoji (Captura de tela: Ariane Velasco)

Ative o teclado Bitmoji (Captura de tela: Ariane Velasco)

Passo 6: volte para o aplicativo e configure o teclado como padrão na opção “Selecionar método de entrada”.

Selecione o Bitmoji como seu teclado principal (Captura de tela: Ariane Velasco)

Selecione o Bitmoji como seu teclado principal (Captura de tela: Ariane Velasco)

Passo 7: conclua a criação de seu emoji e ele estará pronto para uso.

Pronto! Basta concluir a criação de seu emoji para WhatsApp (Captura de tela: Ariane Velasco)

Pronto! Basta concluir a criação de seu emoji para WhatsApp (Captura de tela: Ariane Velasco)

Gboard

O teclado do Google também permite fazer emojis para WhatsApp de uma maneira bem simples. Para isso, siga os passos a seguir:

Passo 1: ative o teclado nas configurações de seu smartphone na opção “Ativar em configurações”.

O Gboard deve ser ativado antes mesmo que você comece a fazer o seu emoji para WhatsApp (Captura de tela: Ariane Velasco)

O Gboard deve ser ativado antes mesmo que você comece a fazer o seu emoji para WhatsApp (Captura de tela: Ariane Velasco)

Passo 2: selecione o Gboard como seu teclado padrão em “Selecionar método de entrada”.

Selecione o Gboard como teclado principal (Captura de tela: Ariane Velasco)

Selecione o Gboard como teclado principal (Captura de tela: Ariane Velasco)

Passo 3: feche o aplicativo e abra o teclado em qualquer aplicativo de conversa. Em seguida, selecione o ícone de emoji presente nele.

É possível fazer emojis para WhatsApp, Facebook e outros aplicativos de redes sociais (Captura de tela: Ariane Velasco)

É possível fazer emojis para WhatsApp, Facebook e outros aplicativos de redes sociais (Captura de tela: Ariane Velasco)

Passo 4: toque sobre o ícone de figurinha e, em seguida, toque na engrenagem para acessar as configurações do Gboard.

Você também pode baixar packs de figurinhas do próprio Gboard para usar (Captura de tela: Ariane Velasco)

Você também pode baixar packs de figurinhas do próprio Gboard para usar (Captura de tela: Ariane Velasco)

Passo 5: nas configurações, toque em “Procurar” e, depois, em “Criar” para fazer seus emojis para WhatsApp.

A opção

A opção

Passo 6: permita o acesso do Gboard à sua câmera e tire uma selfie. O Gboard em seguida irá criar um emoji com base em sua aparência.

Tire uma selfie para concluir a criação de seu emoji para WhatsApp (Captura de tela: Ariane Velasco)

Tire uma selfie para concluir a criação de seu emoji para WhatsApp (Captura de tela: Ariane Velasco)

E você, já usou algum desses aplicativos de emojis para WhatsApp antes? Conte pra gente nos comentários.

Trending no Canaltech:

Fonte: Canaltech

Sinais de que você está viciado em tecnologia

Existem alguns sinais que podem demonstrar se você está viciado em tecnologia, ou seja, notebook, tablet, smartphone e afins. Isto pode significar então que o uso desses aparelhos está atrapalhando direta ou indiretamente a sua vida, seus costumes, horários (como dormir ou comer por exemplo) que por um longo prazo pode trazer graves riscos a saúde. Uma das características das pessoas viciadas nesses aparelhos, seja para acessar redes sociais, jogar, ou até mesmo questões relacionadas ao trabalho, é que se tornam demasiadamente ansiosas, perdendo a qualidade do sono (geralmente por estar com esses aparelhos em mãos antes de dormir), bruxismos e até mesmo tornam-se mais perfeccionistas.

Para demonstrar melhor estes sinais, elaboramos esta lista, confira:

Perda da qualidade do sono.

viciado-tecnologia-smartphone-dormindo

Se você ao dormir costuma levar para cama com você algum aparelho eletrônico, saiba que isto pode estar influenciando negativamente na qualidade do seu sono, tanto por fazer com que o sono demore a chegar, como também faz com que seu cérebro fique ligado à este aparelho, não deixando que você descanse de forma satisfatória. O mesmo pode ocorrer caso fique algum aparelho ligado no quarto com luzes piscando, por exemplo.

Este comportamento pode fazer também com que você sinta-se extremamente cansado no dia seguinte, com o sentimento de que “não dormiu o suficiente” independente da quantidade de sono, como se não conseguisse “desligar o cérebro”. Isto ocorre justamente pela quantidade exacerbada de horas passadas em frente à esses aparelhos eletrônicos, seja por prazer ou a trabalho.

O ideal seria minimizar as horas passadas em frente aos aparelhos eletrônicos, tentando também dar pausas continuas e deixando os mesmo de lado. É interessante também, algumas horas antes de dormir, desligar todos os aparelhos e deixá-los longe do seu alcance, para que seja possível uma melhor noite de sono.

Pensamento constante sobre os conteúdos dos aparelhos eletrônicos.

Viciado Tecnologia

Quando você acessa os aparelhos, seja o smartphone/tablet para olhar algum aplicativo ou até mesmo o notebook para utilizar das redes sociais, repetindo este comportamento com muita frequência, isto também pode ser um sinal de vício. O problema é que ficamos com o pensamento voltado para essas mídias sociais, diminuindo nossa concentração para outros aspectos mais importantes de nossas vidas.

A ansiedade pode ser uma consequência deste comportamento, assim como a falta de atenção. O ideal seria criar uma rotina para acessar estas redes em horários específicos, distante do horário de dormir, sem que sejam acessadas com muita frequência. Aos poucos, o comportamento de acessá-las incessantemente vai diminuir.

Todos os seus assuntos são voltados para essas mídias.

aparelhos-viciado-tecnologia

Se tudo o que conversar com seus amigos, ou pelo menos, a maioria de seus assuntos são voltados para coisas que você viu na internet através dos aparelhos eletrônicos. Isto pode ser um sinal de que você está passando demasiado tempo com esses aparelhos, esquecendo-se assim de outros meios de também conseguir informações (algumas mais válidas).

É interessante começar a prestar atenção nos conteúdos de suas conversas e principalmente sobre os pensamentos que veem a sua mente quando você pensa em puxar assunto com outra pessoa. Perceber isto é o primeiro passo para começar a mudar alguns comportamentos.

Sentir falta dos aparelhos ou nunca esquecê-los.

nomofobia

Quando você passa muito tempo sem utilizar esses aparelhos e começar a sentir falta dos mesmos, isto pode ser um sinal de problema. Ou se você é daquelas pessoas mais “esquecidas” que geralmente se esquece de tudo, mas nunca esquece do próprio celular, então está na hora de perceber seus comportamentos em relação aos mesmos. É preciso refletir a respeito de tudo o que você costuma fazer com estes aparelhos, independe de suas finalidades, e tentar perceber quais comportamentos podem ser transformados.

Tenha em mente que o uso prolongado dos aparelhos eletrônicos pode trazer grande risco a saúde, tanto física quanto mental. O acesso rápido a informação em conjunto com a grande quantidade da mesma pode atrapalhar, mais do que ajudar, sem contar os conteúdos acessados que não trazem nenhuma benefício para você. Problemas físicos como a má postura ou até mesmo visuais e auditivas (perca da qualidade), também são umas questão a ser refletida.

O vício em tecnologia é um assunto relativamente novo. Não podemos negar os benefícios que a tecnologia agregou para nós, mas ao mesmo tempo, existem muitos malefícios a respeito da forma como escolhemos utilizar estas tecnologias e de como isto afeta diretamente nossas vidas. Faz-se necessário ser cauteloso e reflexivo a respeito destas questões.

Fonte: tudoparahomens

Nasa prepara missão para desviar asteroide que ameaça a Terra

A Nasa está preparando uma missão ambiciosa que envolve, pela primeira vez, tentar desviar um asteroide que passará perto da Terra em outubro de 2022.

De acordo com o UOL, é a primeira vez que a técnica de deflexão será utilizada para tentar proteger a Terra. O alvo é um asteroide chamado Didymos, que conta com dois corpos: Didymos A, de aproximadamente 780 metros, e Didymos B, de 160 metros.

“O risco de impacto do asteroide é real, pergunte aos dinossauros”, disse Jean Luc Margot, professor de astronomia da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) à BBC. “Diferente de outros perigos naturais como furacões, erupções vulcânicas, terremotos, etc, os impactos dos asteroides podem ser evitados com a tecnologia atual”, completou.

A agência espacial norte-americana está trabalhando no momento no Teste de Redirecionamento do Asteroide Duplo (DART).

“O DART será a primeira missão da Nasa para colocar na prática o que é conhecido como técnica de pêndulo cinético – bater no asteroide para mudar sua órbita – a fim de defender a Terra de um possível impacto futuro”, explica Lindley Johnson, especialista em defesa planetária da Nasa em Washington.

YouTube cria aplicativo de bate-papo

Os usuários do YouTube terão uma nova ferramenta. O serviço de vídeos vai disponibilizar, a partir desta quinta-feira (22), um bate papo através de um aplicativo para celular. As informações são do G1.

“Há muitos apps de mensagem por aí, mas, quando construímos esse compartilhamento de vídeo, a ideia não era apenas fazer um outro aplicativo de mensagem”, explica Shrimit Bem-Yair, diretora de produtos do Youtube.

Ao ser instalado, o app (que está disponível para iOS e Android) terá uma aba que reunirá as conversas, que se iniciam quando um usuário envia um vídeo a outro. Ainda existe a possibilidade de criar grupos com até 230 participantes.

“As pessoas já estão mandando mensagens e conversando enquanto veem um vídeo no YouTube. Já é algo que elas estão tentando fazer, então estamos fazendo com que isso fique mais fácil”, disse Shrimit.

Fonte: G1

WhatsApp vai parar de funcionar em alguns celulares; saiba quais

Assim como acontece com outros aplicativos, o WhatsApp vai deixar de funcionar em alguns modelos antigos de celulares. A partir do dia 30 de junho, os smartphones BlackBerry, BlackBerry 10, Nokia S40 e Nokia Symbian S60 não terão mais acesso ao app de mensagens. Você tem algum destes equipamentos? Calma! Há uma luz no fim do túnel.

 A Proteste, instituição que atua na defesa dos direitos do consumidor, informou que vai notificar a empresa para impedir a suspensão do serviço nos aparelhos antigos, de acordo com publicação do Olha Digital.

Segundo o órgão, “a obsolescência programada dos celulares é um desrespeito ao consumidor, especialmente por quem opta por utilizar um aparelho mais antigo, uma vez que o acesso ao serviço de telefonia é provido por todas as operadoras no país”.

A Proteste lembra também que o artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor, no inciso IX, diz que é proibido “recusar a venda de bens ou a prestação de serviços, diretamente a quem se disponha a adquiri-los mediante pronto pagamento, ressalvados os casos de intermediação regulados em leis especiais”.

O WhatsApp se defende justificando que modelos antigos não têm capacidade suficiente para que as funções do aplicativo sejam utilizadas corretamente.

Netflix limita número de downloads do mesmo filme ou série

A Netflix ganhou ainda mais fãs após ter anunciado a liberação de filmes e séries para download. No entanto, usuários estão conhecendo aos poucos os reais limites do recurso.

Segundo o site ‘Olhar Digital’, há um limite para o número de filmes e séries baixados. Ou seja, todos os downloads da plataforma ganham uma data de expiração. Por isso, é necessário atualizar a ação. Toda vez que é feita uma atualização, o seu limite ‘secreto’ de downloads é consumido.

Ainda de acordo com a denúncia, o problema é que a Netflix não anuncia aos usuários o número limitado de downloads. Isso significa que você só saberá quando não poderá baixar – uma vez mais – um dos títulos do catálogo streaming quando estourar esse limite.

Ano dos asteroides: 2017 pode se tornar o último da humanidade

Ron Baalke, o principal astrônomo da NASA, revelou que cinco asteroides passarão em extrema proximidade da Terra nos próximos meses. Ao mesmo tempo, cientistas acreditam que haja mais asteroides, que não estamos prontos para lidarmos com eles, pois demoramos muito para identificá-los.

Essa informação foi publicada pelo principal astrônomo da NASA no Twitter.

A primeira ameaça se trata do asteroide 2017 BS5, que se aproximará da Terra no dia 23 de julho. Seu diâmetro atinge 40 a 90 metros e passará a 1.211.734 quilômetros de distância do nosso planeta.

Mas existe outro e ainda mais preocupante — o 2012 TC4. Esse asteroide tem um menor diâmetro (de 12 a 27 metros), não obstante irá se aproximar de nós a 57.659 quilômetros em 12 de outubro. Claro que para nós é muito longe, mas em dimensões espaciais são alguns passos. Lembre-se que a distância entre a Terra e a Lua é de apenas 384.400 quilômetros.

Os três outros asteroides passarão pelo nosso planeta em 3 de dezembro de 2017, 24 de fevereiro  e 2 de abril de 2018, respectivamente.

Será que estamos prontos para enfrentar um asteroide?

Não. No documento oficial, publicado pelo Conselho nacional de Ciência e Tecnologia dos EUA, estamos despreparados para encontrá-los. Há muitos anos, cientistas vêm tentando encontrar meios para nos proteger da ameaça representada por asteroides.

Asteroides podem chegar a qualquer momento, sem avisar. Assim, em 2013, o asteroide de 17 metros de diâmetro golpeou inesperadamente a cidade de Chelyabinsk a afetou mais de 1.000 habitantes.

Levando isso em consideração, a NASA decidiu melhorar os métodos utilizados para garantir nossa proteção, caso venhamos a ser ameaçados no futuro. Mas para cumprir tais metas, EUA devem buscar ajuda internacional para enfrentar essas ameaças vindas de longe e estrondosas.

O que aconteceria se um asteroide colidisse com a Terra?

Segundo um simulador de coalizões de asteroides da Universidade de Purdue (EUA), se o asteroide em questão tivesse 34 metros, no momento em que ele penetrasse nossa atmosfera, ele explodiria em mil pedaços. Liberaria sua energia equivalente a 700 quilotoneladas (doze vezes mais potente do que a energia liberada durante ataque contra Hiroshima). A única coisa que sentiríamos seria um estrondo semelhante ao de uma cidade grande.

Com informações do Sputnik Brasil.

App de paquera promete unir pessoas pela inteligência e não pela aparência

Como você já viu aqui no Superpride, os sapiossexuais existem e estão sendo disputados a tapas pela galera. Pra quem não sabe, a palavra define aqueles que sentem-se atraídos mais pela inteligência do que pela aparência.

Somado a isso, a gente sabe que os aplicativos de paqueras vem se segmentando cada vez mais para agradar públicos específicos. O objetivo é unir pessoas com gostos, crenças e estilos de vida parecidos. Aí surgiu o aplicativo Sapio, disponível para Android e IPhone, é juntar pessoas que se sentem atraídas umas pelas outras por um quesito apenas: a inteligência.

O Sapio espera atender os solteiros descontentes com o Tinder, que não acharam no aplicativo de paquera mais popular do mundo (hétero) alguém para bater um papo cabeça. A descrição do serviço no site oficial do aplicativo diz que o Sapio procura unir pessoas com o mesmo nível de inteligência de um jeito rápido e divertido, com “matches” que agradem “o que os dois cérebros procuram”.

O Sapio parte do pressuposto de que os seus usuários não priorizam barrigas tanquinho, nem fotos com filtro de Instagram na Torre Eiffel. Por isso, o serviço realiza um questionário básico. No total, são 300 perguntas que a pessoa pode responder para montar um perfil.

Em entrevista ao The Huffington Post, Kristin Tynski, um dos criadores do app, explica que ao contrário do que muita gente pensa, sapiossexuais não são atraídos apenas por pessoas com Q.I. elevado. “Eles são atraídos por alguém que tenha seu mesmo nível de inteligência, interesses, habilidades de conversação, energia e senso de humor”, esclareceu.

“Para muitos, se definir como sapiossexual se tornou um posicionamento contra a atual cultura de pegação e superficialidade, na qual a aparência é mais valorizada do que todo o resto”, acrescentou.